IRPF: Como ficar em paz com o leão?

IRPF: Como ficar em paz com o leão?

Todo início de ano é a mesma coisa, IPTU, IPVA e claro, a entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF). Apesar de ser um assunto abordado em diversos veículos, sempre há aquela dúvida sobre o tema e por isso, trouxe alguns pontos para ajudar a você a compreender melhor o tema, as obrigações fiscais e claro, os riscos da não declaração.

O que é o IRPF?


O Imposto de Renda Pessoa Física é um tributo cobrado pelo governo brasileiro sobre os ganhos dos cidadãos, sendo aplicado sobre rendimentos provenientes de salários, investimentos, aluguéis, entre outros.

Trata-se de uma das obrigações fiscais que pode gerar enormes complicações caso haja omissão ou a não declaração, tais como:

  • Multas
  • Irregularidade do CPF
  • Inacessibilidade a crédito
  • Malha fina

Mas Quem Deve Declarar?


Nem todos os brasileiros precisam declarar o IRPF, pois a obrigatoriedade depende de diversos fatores, incluindo a faixa salarial, a posse de bens e investimentos, entre outros critérios estabelecidos pela Receita Federal.

Para os investidores, há também a necessidade de declarar:

  • Posse de bens ou direitos, incluindo imóveis, veículos, investimentos financeiros, entre outros, cujo valor total supere R$ 300.000,00;
  • Obtenção de ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto;
  • Operações em bolsa de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  • Entre outras situações específicas.

Como Funciona o Processo de Declaração?


O processo de declaração do IRPF ocorre anualmente e envolve o preenchimento de um formulário online disponibilizado pela Receita Federal. Os contribuintes devem informar seus rendimentos, despesas dedutíveis, bens, investimentos e demais informações relevantes.

Para quem declarou no ano anterior, pode-se utilizar o arquivo passado e fazer a complementação, garantindo maior agilidade e tranquilidade na hora de transmitir os arquivos.

É essencial ficar atento aos prazos estabelecidos pela Receita Federal, onde a entrega da declaração geralmente ocorre entre março e abril de cada ano.

Ao declarar o IRPF, é importante declarar gastos essenciais como despesas médicas, educação, previdência privada, entre outros.

Estes custos são passíveis de deduções, que por sua vez diminuem o valor a ser pago no imposto ou aumentar o valor da restituição a receber.

Tributação de Operações no Mercado Financeiro


Para os investidores que realizam operações no mercado financeiro, é importante estar ciente dos percentuais de tributação aplicáveis:

  • Operações com Ações: 15% de imposto sobre o lucro obtido em operações comuns e 20% sobre o lucro obtido em operações day trade.
  • Operações com Fundos de Investimento: A tributação varia de acordo com o tipo de fundo e o prazo de permanência do investimento, podendo variar entre 15% e 22,5%.
  • Operações com Outros Ativos: Para investimentos como CDB, Tesouro Direto, entre outros, a tributação segue uma tabela regressiva de acordo com o prazo de permanência do investimento, variando entre 15% e 22,5%.
    É de suma importância guardar todas as notas de negociação e entregar para seu contador para que seja feita a declaração de forma correta.

Vale lembrar que estar informado sobre as as regras e prazos estabelecidos pela Receita Federal, podem lhe poupar de enormes dores de cabeça no futuro, contudo, há sempre a possibilidade de solicitar ajuste no IRPF mesmo após sua transmissão.

E você, vai ficar de boa com o leão ou vai colocar suas finanças em risco?

Está gostando deste conteúdo? Compartilhe!

Últimos posts do blog

Quer sair na frente?

Então cadastre-se em nossa lista para receber mais conteúdos com estes.