Plano Diretor em São Paulo: Veja o que mudou

Plano Diretor em São Paulo: Veja o que mudou

Visando a melhora contínua da qualidade de vida e do crescimento da nossa cidade

Desde 2014, São Paulo está em transformação através do Plano Diretor, uma ferramenta fundamental para o crescimento e o desenvolvimento urbano, que visa, em suma, a melhora significativa na qualidade de vida e uma estruturação organizada da cidade.

Com uma população de mais de 12 milhões de pessoas e um número que não para de crescer, São Paulo, a maior cidade do Brasil, enfrenta inúmeros desafios relacionados ao desenvolvimento urbano, como o crescimento desordenado, a segregação socioespacial, a falta de infraestrutura adequada, o adensamento populacional, entre outros.

É necessário então, medidas para que a verticalização e o crescimento da cidade aconteça de maneira estruturada e organizada, desta forma, as mudanças do Plano Diretor são de suma importância, principalmente para quem está no meio comercial.

Diretrizes do Novo Plano Diretor:

O novo Plano Diretor para São Paulo apresenta diretrizes que buscam promover um desenvolvimento urbano mais sustentável e melhorar a qualidade de vida da população. Dentre as principais diretrizes, destacam-se:

  • Adensamento Controlado: 
  • O PDE estabelece limites de adensamento populacional e construtivo, evitando a superlotação de determinadas áreas e garantindo uma melhor distribuição dos serviços e equipamentos urbanos.
  • Uso Misto: 
  • A promoção do uso misto do solo é um dos pilares do novo Plano Diretor. Isso significa buscar a integração de diferentes atividades, como moradia, comércio, serviços e lazer, em uma mesma região, reduzindo a necessidade de deslocamentos e fomentando a criação de espaços urbanos mais dinâmicos e acessíveis.
  • Transporte Público e Mobilidade Ativa: 
  • O plano incentiva a ampliação e a melhoria dos sistemas de transporte público, visando a redução da dependência do transporte individual motorizado. Além disso, promove a priorização de modos de deslocamento não motorizados, como caminhar e pedalar, através da implantação de ciclovias, calçadas adequadas e espaços para pedestres.
  • Preservação Ambiental: 
  • A sustentabilidade ambiental é uma preocupação central no novo Plano Diretor. Ele prevê a proteção de áreas verdes, a recuperação de áreas degradadas e a promoção de práticas sustentáveis, como a utilização de energias renováveis e a gestão adequada dos recursos hídricos.
  • Regularização Fundiária e Habitação Social: 
  • O PDE também busca enfrentar o déficit habitacional e a irregularidade fundiária, por meio da implementação de políticas de regularização e da promoção de habitação social em áreas bem localizadas, próximo a serviços e infraestrutura.

Segundo a Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (ABRAINC), a revisão aprovada pela câmara no último dia 27 é um ponto positivo para que as empresas possam contribuir na construção de um projeto mais sustentável e com melhor aproveitamento urbano.

Está gostando deste conteúdo? Compartilhe!

Últimos posts do blog

Quer sair na frente?

Então cadastre-se em nossa lista para receber mais conteúdos com estes.